sábado, 22 de setembro de 2007

Eis me aqui para te ver passar. Sucessão das coisas.


Ultimamente tenho me questionado muito sobre o tempo. Não sobre ele em si ou sobre sua significação em relação às chuvas ou aos sóis, mas sobre o passar dele e sua influência sobre nossa personalidade e nosso corpo.
Pode parece pretensão minha ou até mesmo que eu esteja me precipitando, mas sinto que meu corpo não é a mesma coisa que era aos 10 anos e, com medo de assumir minha condição, atribuo isso ao tempo.
Mas não é sobre meu corpo que veio falar este devaneio, e sim sobre outras coisas. Vamos aos fatos.
Estive pensando muito, até mesmo mais do que eu supunha ser capaz, e cheguei à temível conclusão que eu não gosto do tempo. Ele nunca passou minhas dores, nem me fez esquecer meus amores e só me serve para entender que tenho cada vez menos dele para aproveitar.
Tanta coisa acontece ao mesmo tempo que acho que o tempo, como diz Fernando Pessoa, "não marcará, quem sabe, nenhum" sequer.
Não faço idéia de que conclusão tomar deste ensaio, pois já se passou tanto tempo desde que o comecei que só consigo perceber que o tempo nos faz esquecer das coisas.

Três raios de Sol vêm em minha direção,
Escolha um, somente um, e me atinja com ele,
Meta os outros dois em um relógio.
Ponteiro, é isso agora que eles são.
Olhe então tudo passar à sua volta, tudo passar por você.

5 arquitetura(s) alheia(s):

Sibby Bounce disse...

o tempo não existe, como assim o tempo q vc fala?

o desenrolar das coisas?

eu não entendo o tempo, mas n tem como as pessoas gostarem dele ou não!

tudo indo, assim, ah, eh estranho mesmo... gatos subindo no teclado e as manhãs de sol cor de rosa, e o sorriso dela que mancha.

eu n entendo o tempo

e não entendo pq vc fala dele omo se fosse algo tão concreto quanto um tijolo

n sei pq, mas lembrei dos meus hamsters. cindy e gui (não é mais larry) que se espreguiçam tão bonitinhos e não ficam pensando em amores ou tempos ou horas. (talvez na hora da ração ou do passeio.)


ah ed, eu não sei, filho!

ImaGINE disse...

você realmente não é mais o mesmo de quando tinha dez anos, e eu me lembro bem quando tínhamos dez anos, acho que o tempo te melhorou...
e sempre tem alguma coisa boa a ser arrancada da vida, dos acontecimentos. O tempo passa, sim, passa...E o que te faz passar bem por ele é enxergar o que tu conseguiste aprender com isso, porque a gente sempre aprende alguma coisa, mesmo que essa coisa não te faça rir, talvez ela te deixe mais forte pra um sofrimento futuro...

E nesse tempo de incertezas amigo, o que realmente nos resta a fazer é aproveitar cada migalhinha, como se fosse a última...
O amanhã não há...

beeeejos

Karoℓ disse...

o tempo muda nossos sonhos
ou os nossos sonhos mudam com o tempo?!
mudamos e somos os mesmos
há coisas q nao consigo esquecer
há coisas que eu quria não ter esquecido
as vezes a gente pede alg do tempo
q deveriamos ter cobrado mais de nós...
como por exemplo, nao é o tempo q cura as feridas
e sim: o amor
por viver
e coisas q a gente deveria deixar pra trás porque simplesmente a vida é simples
e não podemos fazer dela o que nao é.
e é só continuando... q há mudanças:
"As oportunidades estão...
onde você está. Não adianta mudar de casa, de cidade, pois o problema vai junto. O segredo é mudar a percepção: mudando a percepção, você muda a realidade. "

se tu és fodido
não há como ficar mais fodido
pq já fudeu tudo, entao, meu conselho é:
GOZA - e relaxaaaaaaaaaaaaa

Karoℓ disse...

a vida, de certa forma, na sua simplicidade é quando se supera.
nao precisamos de mais nada
alem de nós mesmos
e...
do amor de outrosssssss
por isso o nosso coraçao é pequeno,
mas cabe aqueles que prestam.
:D

Natanael Garcia disse...

a vida é curta demais acho q o ser humano naum deveria envelhecer tanto, e deveria ser uns 200 anos de vida ai seria mais divertido, 100 anos de juventide primeiro hehehe

Design by Dzelque Blogger Templates 2008

Arquiteto de Emoções - Design by Dzelque Blogger Templates 2008